O Natal e outras “coisas do diabo”

Já é Natal e se tem algo mais chato do que colocar uva passa em tudo e maçã na maionese, são os crentes fazendo textão, dizendo que o Natal é uma celebração pagã e que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro.

Ok, ok. Se buscarmos conhecer mais sobre essa data, veremos que, sim, Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro e a comemoração tem origem pagã, principalmente relacionada com o deus Sol.

Mas o que eu gostaria de falar é que tudo isso não passa de “mimimi” gospel. Sabe por quê? Porque fazemos muuuuitas outras coisas que possuem origem pagã e nem por isso deixamos de fazer.

Quer um exemplo? Te dou cinco!

1. Comemorar aniversário

Bom, se você comemora o seu aniversário todos os anos, saiba que desde a Antiguidade, os romanos já comemoravam o dia do nascimento de uma pessoa, conhecido como dies sollemnis natalis.

Já os tradicionais bolos de aniversário surgiram na grécia. Era um preparado de mel e pão, no formato de uma lua e eram ofertados a deusa Ártemis em seu templo.

O costume de acender velas e apagá-las com um sopro também surgiu na época dos deuses antigos. As pessoas acreditavam que as velas acesas protegiam o aniversariante de todo espírito maligno e da má sorte. Depois de soprar as velinhas, as fumaças levariam as preces até os deuses.

A bíblia relata dois aniversários durante toda a sua escritura: em Gênesis 40:20, o niver do Faraó; e em Mateus 14:6, o de Herodes. E adivinha? Ambos eram pagãos.

Se seguirmos a mesma lógica que muitos aplicam ao Natal, teríamos que parar de comemorar nossos aniversários.

2. Cerimônia de casamento

Outro costume que é naturalmente pagão é a cerimônia de casamento. O vestido branco, o véu e grinalda, o bouquet, as alianças, o bolo, a chuva de arroz, a lua-de-mel… Nossa! São tantas coisas que, se eu for escrever aqui, seria melhor dividir em capítulos.

A cerimônia que conhecemos hoje é um acumulado de culturas ocidentais e orientais. É um mosaico pagão tão complexo que é melhor você não casar. Se quiser fazer algo bíblico, peça ao seu pai que lhe encontre um bom partido, chama a família e faça uma festa de dois dias.

3. Praticar esportes

Costuma-se afirmar que os primeiros Jogos Esportivos começaram a ser realizados na Grécia Antiga no ano 776 a.C., como uma importante celebração e tributo aos deuses. Mais tarde, no ano de 393, a prática foi proibida pelo imperador cristão Teodósio I por serem uma manifestação do paganismo.

Então, meu amigo futebolista de toda quarta-feira: pare já o que está fazendo!

4. O calendário

Você sabia que o nosso calendário é totalmente pagão, né? Inclusive, os nomes de alguns meses também são uma homenagem aos deuses romanos. Então, crente, já que você é super bíblico, saiba que esse texto foi postado no dia 20 do mês de Kislev do ano de 5777.

5. Saúde!

O costume que temos de dizer “saúde!” toda vez que alguém espirra é mais antigo do pensamos. Por mais que ninguém saiba exatamente, acredita-se que tenha surgido a partir de crenças antigas.

Alguns criam que, quando a pessoa espirrava, sua alma era jogada para fora do corpo, sendo necessário dizer “saúde!” (ou algo parecido) para que a alma da pessoa não fosse capturada por algum espírito do mal.

Outros pensavam que, durante o espirro, o coração parava de bater. Dessa forma, a palavra funcionaria como uma espécie de cumprimento à pessoa que acabara de “ressuscitar”.

Enfim,

O que eu gostaria de mostrar é que, mesmo que o Natal tenha, lá no início, uma motivação pagã, hoje tem outro significado. Sem contar que o Papai Noel (não esse da Coca-Cola), mas o bom velhinho é uma homenagem a São Nicolau, um bispo que ficou conhecido por sua caridade e afinidade com as crianças.

E mesmo que Jesus não tenha nascido exatamente no dia 25 de dezembro, qual o problema de tirarmos um dia para comemorar a vida do nosso salvador?

Sabe como podemos tornar o Natal uma comemoração unicamente pagã? Quando o nosso coração e nossa mente estão cheios de egoísmo e coisas inúteis.

Jesus nos afirma, inclusive, que “se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.” (Mateus 5:23-24)

Ou seja, mesmo praticando “coisas de crente”, você pode estar errando se o seu coração não estiver no lugar certo.

Então, irmão, espero que você esqueça essa baboseira de que “Natal é coisa do diabo” e vá curtir com a sua família. Em vez de ficar de cara feia, fazer textão no Facebook e não ir a nenhuma festa, vá e fale de Jesus!

Feliz Natal. 🎅🎄🎁